85

SinSaudeSP mantém conquistas, apesar da reforma trabalhista

Sindicalismo

Segundo dados do Dieese, o número de CCTs nesses primeiros meses do ano caiu cerca de 50%

*José Lião de Almeida

Apesar das grandes dificuldades impostas às negociações coletivas pela reforma trabalhista – Lei 13.467/2017 –, o SinSaudeSP conseguiu, após muita luta, garantir a maior parte das conquistas e direitos dos trabalhadores nas diversas Convenções Coletivas de Trabalho – CCT celebradas com os sindicatos patronais.

Entre as mais importantes destacamos: cesta básica com 25 kg de alimentos, direito ao horário de amamentação, feriado da categoria no dia 12/05 (dia do trabalhador da saúde), jornada 12×36 com duas folgas mensais, adicionais noturno (40%) e de insalubridade (até 40%), hora extra com acréscimo de 90% e inúmeras outras vantagens.

Segundo dados do Dieese, o número de CCTs nesses primeiros meses do ano caiu cerca de 50%. Com a nova lei, a situação ficou mais favorável para as empresas e os patrões aproveitam para retirar conquistas já garantidas. Muitos itens da famigerada reforma continuam gerando dúvidas e debates nas negociações, entre eles: intervalo intrajornadas, homologação, custeio sindical, banco de horas, insalubridade gestante, contrato intermitente e outros. Mesmo com esta situação adversa, o Sindicato conseguiu avançar e manteve as conquistas históricas, que continuam com força de Lei. Se a empresa não está respeitando os seus direitos, denuncie! Envie um e-mail para lião@sinsaudesp.org.br ou venha pessoalmente ao Sindicato. Não fique só, fique sócio!

*presidente da CNTS e SinSaudeSP

Fonte: Ascom SinSaudeSP

Deixe sua opinião

Enviando seu comentário...
Houve um erro ao publicar seu comentário, por favor, tente novamente.
Por favor, confirme que você não é um robô.
Robô detectado. O comentário não pôde ser enviado.
Obrigado por seu comentário. Sua mensagem foi enviada para aprovação e estará disponível em breve.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias relacionadas

Siga a CNTS
nas Redes Sociais