19
Foto: Sindsaúde-CE

Sindsaúde-CE cobra esclarecimentos sobre vacinação de trabalhadores da saúde do nível médio

Imunização

Muitos trabalhadores da linha de frente temem ficar sem o imunizante mesmo estando no grupo prioritário previsto para receber as primeiras doses da vacina.

O início da vacinação no Ceará trouxe alegria e esperança à população, mas também muitas incertezas. Entre os profissionais da saúde, a quantidade pequena de doses disponibilizada nessa primeira fase da imunização preocupa.  As doses encaminhadas pelo Ministério da Saúde ao Ceará não atendem sequer os grupos definidos como prioritários nessa primeira fase.

O governo do Estado recebeu 218 mil doses da CoronaVac. De acordo com a Secretaria da Saúde do Estado, 76.700 serão destinadas aos profissionais de saúde da linha de frente – mais expostos ao coronavírus. Esse grupo inclui aqueles que trabalham em enfermarias e UTI de Covid-19; transporte pré-hospitalar – Samu; UPAs; emergências de hospitais porta aberta; laboratórios de biologia molecular e centros de coleta; testagem e atendimento para Covid-19.

Silvânia Lopes, técnica de enfermagem e dirigente do Sindsaúde-CE, trabalha na emergência do Hospital São José. Ela recebeu a vacina na quarta-feira, 20/01, mas muitos colegas dela ficaram de fora. “Muitos colegas que têm contato no dia-a-dia com pacientes com Covid não estão listados para receber a vacina nesta primeira fase. Além das doses serem insuficientes, não sabemos se vai ter vacina para todo mundo”, comentou.

O técnico de enfermagem e socorrista do Samu Ceará, com base em Caucaia, Messias Carlos, faz parte do grupo definido como prioritário nesta primeira fase da vacinação, mas até o momento, ele não sabe quando vai receber a vacina. Segundo Messias, o Samu não disponibilizou uma lista nominal dos trabalhadores aptos a receber a vacina. “Primeiro, disseram que precisávamos fazer um cadastro, depois que precisávamos de um aplicativo. Uma dificuldade atrás da outra. Esse tem sido o assunto nos grupos do WhatsApp: todo mundo com medo de que a vacina não chegue para gente, que trabalha em contato direto com os doentes, nas ambulâncias”, afirmou.

Também estão previstos para receber as primeiras doses da vacina os vacinadores; agentes comunitários de saúde; agentes de combate às endemias; enfermeiros, técnicos de enfermagem; técnicos em saúde bucal; médicos e dentistas da Estratégia de Saúde da Família – ESF.

A categoria com mais óbitos e sequelas por conta da Covid-19 é justamente a dos profissionais da saúde do nível médio, como técnicos de enfermagem, que são representados pelo Sindsaúde. “O início da vacinação trouxe um misto de esperança e incertezas para nós. A vacina chegou, mas não para todos que estão expostos na linha de frente. Queremos que os governantes nos expliquem melhor os critérios para definir quem é vacinado agora e quem vai ter que esperar. Todo mundo tem medo e a população há de concordar que esses profissionais precisam ser imunizados logo para que possam atender com mais segurança”, afirmou Marta Brandão, presidente do Sindsaúde Ceará.

Nesta quinta-feira, 21, o Sindsaúde Ceará vai entregar ofício nas secretarias da saúde do Estado e município pedindo mais esclarecimentos. “Precisamos dar respostas à categoria e estamos indo buscar essas respostas. Chega de mortes!”, concluiu.

Fonte: Sindsaúde-CE

Deixe sua opinião

Enviando seu comentário...
Houve um erro ao publicar seu comentário, por favor, tente novamente.
Por favor, confirme que você não é um robô.
Robô detectado. O comentário não pôde ser enviado.
Obrigado por seu comentário. Sua mensagem foi enviada para aprovação e estará disponível em breve.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias relacionadas

Siga a CNTS
nas Redes Sociais