18

É hora de fortalecer a representação política dos trabalhadores da saúde

Artigos

*José Lião de Almeida

Estudo recente sobre o Congresso Nacional mostra que o número de parlamentares comprometidos com os interesses dos trabalhadores e do movimento sindical vem caindo a cada nova Legislatura. O reflexo dessa queda é a aprovação de leis prejudiciais à classe trabalhadora e à sociedade.

O cenário de desequilíbrio atingiu o clímax no ano passado, com a aprovação da Lei 13.467/2017, a nefasta reforma trabalhista. Nunca, em tempos recentes, revelou-se no Legislativo tamanho empenho para aprovar uma Lei tão ruim. O trabalho foi feito a toque de caixa, sem consultas expressivas à sociedade e sem concessões à parte hipossuficiente.

Passado menos de um ano da entrada da Lei em vigor, os resultados não tardaram a chegar: precarização, colapso do emprego formal, terceirização irrestrita e perda de renda são alguns dos frutos podres gerados pela reforma trabalhista. Isso sem falar na deliberada asfixia do custeio da estrutura sindical.

Antes da reforma trabalhista também foi aprovada, de maneira urgente e radical, a Emenda Constitucional 95/2016, que engessou por 20 anos os gastos públicos com saúde e educação, entre outros, sob o falso pretexto de conter o déficit fiscal. Não é preciso ir muito além para entender que, caso não haja uma mudança expressiva nesse contexto político/econômico, logo assistiremos a outras aberrações, como a ruína dos direitos previdenciários e o triste fim da Justiça de Trabalho. Neste cenário, o trabalhador ficará totalmente desamparado frente ao grande capital e ao patronato.  Um caminho sem volta.

Neste momento decisivo cabe então à classe trabalhadora e aos seus verdadeiros representantes exercerem o legítimo poder de mobilização e luta consciente, para que seja feita a tão necessária correção de rumos em direção a uma sociedade melhor para todos. É hora de fortalecer a representação política dos trabalhadores, é hora de mobilizar as bases (em especial, a dos trabalhadores da saúde) para tirar o país desse atoleiro e transformá-lo num Brasil justo e soberano.

*Presidente da CNTS e do SinSaudeSP

Deixe sua opinião

Enviando seu comentário...
Houve um erro ao publicar seu comentário, por favor, tente novamente.
Por favor, confirme que você não é um robô.
Robô detectado. O comentário não pôde ser enviado.
Obrigado por seu comentário. Sua mensagem foi enviada para aprovação e estará disponível em breve.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias relacionadas

Siga a CNTS
nas Redes Sociais