15
Foto: Ueslei Marcelino/Reuters

TCU desmente fake news de Bolsonaro sobre relatório de mortes por Covid

Política

O presidente afirmou que haveria um relatório do órgão apontando que 50% das mortes por coronavírus no ano passado não ocorreram em função da doença, o que é mentira.

O Tribunal de Contas da União – TCU desmentiu na segunda-feira, 7, o presidente Jair Bolsonaro e afirmou não ter feito relatório apontando que metade das mortes atribuídas à Covid-19 no Brasil, em 2020, foi causada por outros fatores que não o vírus. “O TCU esclarece que não há informações em relatórios do Tribunal que apontem que ‘em torno de 50% dos óbitos por Covid no ano passado não foram por Covid’, conforme afirmação do presidente Jair Bolsonaro”, diz um trecho da manifestação divulgada pelo Tribunal.

Durante conversa com apoiadores na segunda-feira, em frente ao Palácio da Alvorada, em Brasília, Bolsonaro que um relatório do TCU aponta número inflado de mortes por Covid-19 no Brasil.

“O relatório final, que não é conclusivo, disse que em torno de 50% dos óbitos por covid no ano passado não foram por covid, segundo o Tribunal de Contas da União”, afirmou Bolsonaro a apoiadores. “Esse relatório saiu há alguns dias. Logicamente que a imprensa não vai divulgar. Já passei para três jornalistas com quem eu converso e devo divulgar hoje à tarde. Está muito bem fundamentado, todo mundo vai entender, só jornalista não vai entender”, completou Bolsonaro.

Em seguida, o portal R7, da Igreja Universal do Reino de Deus, aliada do presidente, divulgou a informação de que “apenas quatro em cada dez óbitos (41%) registrados por complicações da doença seriam efetivamente resultado da contaminação do vírus”.

O portal afirmou que o documento no qual se baseava tinha sido “citado por Bolsonaro” nesta manhã na porta do Alvorada. E disse que obteve “um trecho do relatório elaborado pelo TCU” por meio de “fontes do Palácio do Planalto”.

Ao mesmo tempo, um documento apócrifo passou a circular nas redes sociais com os mesmos dados, e como se tivesse sido elaborado com informações e conclusões oficiais do TCU. O título dele é “Da possível supernotificação de óbitos causados por Covid-19 no Brasil”.

O relatório do TCU, no entanto, não diz nada do que afirmou o presidente da República, e em vários trechos afirma que pode inclusive haver subnotificação de casos de Covid-19 no Brasil.

A única vez em que toca na possibilidade de superdimensionamento de casos é o trecho em que afirma que os critérios de transferência de recursos adotados pelo Ministério da Saúde aos estados e municípios, com base no número de infectados, poderiam, em tese, levar algum gestor a elevar artificialmente as notificações.

De acordo com um dos ministros do Tribunal, essa parte do texto, feita por técnicos, tratava de uma hipótese, uma possibilidade, uma tese, jamais comprovada pela realidade. Ele repete que o TCU nunca questionou o número oficial de óbitos por Covid-19 no país, que já passa dos 474 mil.

Desde o início da pandemia, Bolsonaro e aliados agem para minimizar o número de vidas perdidas em decorrência de Covid-19. O presidente já se referiu à doença como “gripezinha”, criticou medidas de isolamento social, atrasou a compra de vacinas, apostou na imunidade de rebanho e no chamado “tratamento precoce” com medicamentos contraindicados para a Covid-19, como cloroquina.

Fonte: Com Folha de S.Paulo, Estadão e Veja
CNTS

Deixe sua opinião

Enviando seu comentário...
Houve um erro ao publicar seu comentário, por favor, tente novamente.
Por favor, confirme que você não é um robô.
Robô detectado. O comentário não pôde ser enviado.
Obrigado por seu comentário. Sua mensagem foi enviada para aprovação e estará disponível em breve.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Siga a CNTS
nas Redes Sociais