4211
Foto: Arquivo Agência Brasil

Prazo para revisão do FGTS termina em novembro

Direitos Trabalhistas

Se encerra em 13 de novembro o prazo para o trabalhador ingressar com o pedido de revisão de Fundo de Garantia por Tempo de Serviço – FGTS. Caso o pedido não seja realizado dentro do prazo previsto, o direito estará prescrito.

Em setembro, o ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal – STF, determinou a suspensão, até o julgamento do mérito da matéria pelo plenário, de todos os processos que tratem da correção dos depósitos vinculados do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço – FGTS pela Taxa Referencial –  TR, ou seja, estão suspensas todas as ações em curso no país que versem sobre a correção do FGTS.

Isso ocorreu porque o Supremo julgará, em 12 de dezembro, Ação Direta de Inconstitucionalidade que debate o tema e, dependendo do resultado, milhões de brasileiros poderão pleitear a correção de seu FGTS depositado por índice mais vantajoso que a TR.

Importante destacar que a determinação da Corte Suprema ocorreu na análise de ação, apresentada em 2014, pelo partido Solidariedade, que sustenta que a TR, a partir de 1999, sofreu defasagem em relação ao Índice Nacional de Preços ao Consumidor – INPC e ao Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo Especial – IPCA-E, que medem a inflação. Sua pretensão, na ADI, é que o STF defina que o crédito dos trabalhadores na conta do FGTS seja atualizado por “índice constitucionalmente idôneo”. Na prática, o governo realiza a atualização das contas de FGTS pela TR, no entanto, este índice é muito abaixo da inflação, trazendo prejuízo aos trabalhadores por quase duas décadas.

Em setembro do ano passado, aliás, o Supremo reconheceu o dever de substituição da taxa de correção da TR pelo INPC. A alteração da taxa pode representar aumento de até 88,3% a mais no FGTS do trabalhador que contribuiu entre 1999 e 2013.

Quem tem direito à revisão? – Pode ingressar com a ação todo trabalhador que tenha tido conta ativa no período entre 1999 e 2013. Aposentados e trabalhadores que já tenham sacado o FGTS também podem entrar com ação, a fim de obter a restituição da diferença do valor a mais que teriam direito.

Por que entrar com ação? – Esse dinheiro é direito do trabalhador! O não repasse da taxa inflacionária faz com que o trabalhador sofra perda do seu poder de compra, diminuindo o montante a que tem direito. Ingressar com a ação de revisão do FGTS garante ao trabalhador receber o valor correto para o qual ele e a empresa contribuíram.

A diferença a ser recuperada do FGTS com a correção do INPC pode variar entre 48% a 88% do saldo disponível à época.

Prazo para ingressar com a ação – O direito a revisão do FGTS prescreverá em novembro de 2019, assim, a ação deve ser proposta antes desse prazo.

Para que o trabalhador tenha acesso a esse direito, é necessário entrar com Ação Judicial por intermédio de Advogado, para isso devem ser apresentados os seguintes documentos:

  • RG e CPF (ou cópia da CNH);
  • Carteira de Trabalho;
  • Comprovante de Residência Atual;
  • Extrato do FGTS dos períodos entre 1999 e 2013 (disponível no site: https://servicossociais.caixa.gov.br/internet.do?segmento=CIDADAO01&produto=FGTS);

Se for aposentado, cópia da Carta de Concessão de Benefícios;

Fonte: Com Jornal Contábil e R7
CNTS

Uma opinião sobre “Prazo para revisão do FGTS termina em novembro

  • Deise Regina Lucas

    Bom dia.

    Algumas pessoas que trabalham na área jurídica estão dizendo que é inconstitucional. Que não adianta entrar com ação. Eu creio que estão dizendo balela.

    Att

    Deise.

Deixe sua opinião

Enviando seu comentário...
Houve um erro ao publicar seu comentário, por favor, tente novamente.
Por favor, confirme que você não é um robô.
Robô detectado. O comentário não pôde ser enviado.
Obrigado por seu comentário. Sua mensagem foi enviada para aprovação e estará disponível em breve.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Siga a CNTS
nas Redes Sociais