10
Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

PP ganha fundo bilionário do MEC; PL deve assumir Banco do Nordeste

Política

Cargos em órgãos federais têm sido negociados pelo governo com os partidos do Centrão. O FNDE, responsável pela execução das principais ações do governo voltadas ao ensino público, tem orçamento previsto para 2020 de R$ 29,4 bilhões.

O governo federal trocou nesta segunda-feira, 1, a presidência do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação – FNDE. O novo presidente do FNDE é Marcelo Lopes, ex-chefe de gabinete do presidente nacional do PP, senador Ciro Nogueira (PI). O órgão do Ministério da Educação é responsável pela maioria das ações de educação básica e tem orçamento previsto para 2020 de R$ 29,4 bilhões.

A nomeação foi publicada na edição desta segunda-feira do Diário Oficial da União. Ponte vai substituir Karine Silva dos Santos, que ocupava o cargo desde dezembro e é alinhada ao ministro da Educação, Abraham Weintraub.

Por conta disso, Weintraub vinha resistindo a trocar o comando do órgão para indicar um nome ligado a um partido. No entanto, pressão do próprio presidente Jair Bolsonaro o fez recuar. Weintraub recebeu Lopes em seu gabinete há duas semanas.

Ciro Nogueira, presidente nacional do PP, é o segundo senador com mais inquéritos judiciais, são cinco. A informação está em levantamento feito pelo Congresso em Foco.

A entrega do fundo a um nome indicado pelo Centrão – bloco informal da Câmara formado por Progressistas, PL, Republicanos, PTB, Solidariedade, DEM e PSD – faz parte da estratégia do presidente Jair Bolsonaro para ganhar apoio no Congresso. O objetivo do governo é ter uma base consolidada para aprovar projetos e, principalmente, barrar um eventual processo de impeachment de Bolsonaro.

Vinculado ao Ministério da Educação, o FNDE é um dos espaços mais cobiçados por políticos. O órgão é responsável por atribuições que vão desde a contratação de livros escolares, transporte de alunos até o programa federal de financiamento estudantil, o Fies. Foi por meio do órgão que a pasta contratou uma empresa para fornecer kits escolares a estudantes que, segundo o Ministério Público, está envolvida em esquema, revelado em março pelo Estadão, que desviou R$ 134,2 milhões de dinheiro público da saúde e da educação na Paraíba.

O governo já havia nomeado na Diretoria de Ações Educacionais do fundo um indicado do PL, sigla do ex-deputado Valdemar da Costa Neto, condenado no mensalão. Garigham Amarante Pinto, assessor do partido na Câmara, assumiu o cargo no dia 18 de abril. Garigham trabalhava há mais de dez anos como assessor técnico da liderança do PL na Câmara.

Banco do Nordeste – Também é esperada para essa semana a troca da presidência do Banco do Nordeste. Deputados do PL são os responsáveis pela indicação. Membros do partido ouvidos pelo Congresso em Foco confirmam a expectativa para que isso aconteça em breve.

O PL é comandado informalmente pelo ex-deputado Valdemar Costa Neto, que participou do esquema do mensalão. Quem faz intermediação da indicação é a bancada do PL no Ceará, estado onde o banco estatal é sediado.

O nomeado deve ser Alexandre Cabral, que foi presidente da Casa da Moeda e secretário de Turismo do Ceará. O atual presidente Romildo Rolim havia sido indicado pelo ex-presidente do Senado Eunício Oliveira (MDB-CE).

Benefícios ao Centrão – Além do PP e PL, já receberam cargos no governo nas últimas semanas indicados do PSD, Republicanos, PSC e Avante. Na última quinta-feira, 28, os partidos foram fundamentais para impedir uma derrota na votação da Medida Provisória 936/2020 que poderia custar R$ 22 bilhões.

Bolsonaro já atendeu a outras demandas das siglas. Na última sexta-feira, 29, a presidência da Fundação Nacional da Saúde – Funasa, do Ministério da Saúde, foi entregue para o coronel da Polícia Militar de Minas Gerais Geovanne Gomes da Silva, indicado pelo líder do PSD na Câmara, Diego Andrade (MG).

Fernado Marcondes Leão foi para o comando do Departamento Nacional de Obras Contra As Secas – DNOCS. Ele foi indicado pelo líder do PP, Arthur Lira (AL), em acordo com o deputado Sebastião Oliveira (PL-PE), que vai sair do PL e ir para o Avante.

O presidente nacional dos Republicanos e vice-presidente da Câmara, Marcos Pereira (SP), indicou o advogado Tiago Pontes, que foi nomeado para a Secretaria de Mobilidade do Ministério de Desenvolvimento Regional.

Em nível regional o PSC emplacou um aliado no comando da Companhia de Brasileira de Trens Urbanos – CBTU de Pernambuco. O escolhido para a CBTU do Recife é Carlos Fernando Ferreira da Silva Filho, que foi secretário municipal no interior do Estado.

O advogado Alex Machado Campos foi nomeado no fim de abril para uma das diretorias da Agência de Vigilância Sanitária – Anvisa. Campos Machado é próximo do deputado André de Paula (PSD-PE), que foi líder da sigla ano passado. No entanto a indicação é creditada ao ex-ministro Luiz Henrique Mandetta, de quem Campos Machado foi chefe de gabinete.

Fonte: Com Congresso em Foco e Correio Braziliense
CNTS

Deixe sua opinião

Enviando seu comentário...
Houve um erro ao publicar seu comentário, por favor, tente novamente.
Por favor, confirme que você não é um robô.
Robô detectado. O comentário não pôde ser enviado.
Obrigado por seu comentário. Sua mensagem foi enviada para aprovação e estará disponível em breve.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Siga a CNTS
nas Redes Sociais