65
Foto: Cofen

Onde há vida, há Enfermagem

Enfermagem

Este e o tema da campanha “Nursing Now Brasil” – Enfermagem Agora, lançada dia 24 de abril, em Brasília, uma iniciativa da Organização Mundial de Saúde – OMS e do Conselho Internacional de Enfermeiros, que busca chamar a atenção dos governos dos países integrantes da Organização das Nações unidas – ONU, para que valorizem os profissionais de enfermagem, que são essenciais para atingir as metas globais, nacionais e locais de saúde.

Entre as principais metas definidas para o programa no Brasil, e que foram apresentadas durante o evento, estão o investimento no fortalecimento da educação e no desenvolvimento dos profissionais de enfermagem com foco na liderança; a busca pela melhoria das condições de trabalho dos profissionais; e a disseminação de práticas de enfermagem efetivas e inovadoras com base em evidências científicas, em âmbitos nacional e regional.

Os participantes do evento discutiram sobre o impacto das contribuições da enfermagem para o fortalecimento dos sistemas de saúde; liderança da enfermagem para a saúde global; como a enfermagem lidera o caminho para alcançar a saúde para todos e em todos os lugares; orientações estratégicas para a enfermagem na região das américas; e sobre os desafios para alcançar o acesso à saúde universal, destacando o papel central dos profissionais de saúde.

Na véspera do lançamento ocorreu a reunião técnica para debate do tema “Fortalecimento do Sistema Único de Saúde: o papel da enfermagem”, com o objetivo de conhecer a Estratégia Global de Orientações para o fortalecimento da Enfermagem e Obstetriz, como oportunidade para a troca e reflexões das ações desenvolvidas entre os diferentes participantes. O evento foi organizado pela Organização Pan-Americana da Saúde – OPAS/OMS, com apoio do Ministério da Saúde do Brasil, e participação de representantes dos ministérios da Saúde e da Educação e entidades e instituições brasileiras e estrangeiras voltadas à área da enfermagem.

Segundo o documento apresentado pelas OPAS e OMS, o desafio do acesso e da cobertura universal tem exigido uma nova dinâmica do setor saúde. “A transição epidemiológica, demográfica e a redistribuição das cargas de doenças têm direcionado as necessidades de adequações do sistema de saúde e seus atores. Neste sentido, os sistemas de saúde têm buscado, por intermédio de evidências científicas, formas de trabalho, estruturas e estratégias mais custo-efetivas para proporcionar serviços e cuidados de saúde de qualidade aos usuários e suas famílias”.

Ao analisar o contexto atual, as entidades apontam que estes sistemas de saúde têm apresentado importantes desafios como: aumentar o acesso aos cuidados de saúde, em contextos com dificuldades no provimento e fixação de profissionais de saúde; melhorar a capacidade resolutiva dos serviços de saúde e da qualidade dos cuidados, atendendo às novas formas de organização do trabalho em saúde, do acompanhamento e orientações aos cidadãos e no autocuidado em saúde; e reduzir os custos e gastos em saúde.

“No marco dos acordos globais e regionais, tais como a Agenda 2030, os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) e a Estratégia de Recursos Humanos para o Acesso Universal à Saúde e Cobertura Universal de Saúde (CSP 29/10), o fortalecimento do papel do enfermeiro é uma iniciativa promissora para melhorar o acesso aos serviços e a qualidade em uma assistência que considere as necessidades de saúde da população, pois representam aproximadamente 50% da força de trabalho na maioria dos países”, ressalta o documento.

As entidades ressaltam que a iniciativa, “numa perspectiva de integração entre ensino e serviço, busca melhorar e qualificar as ações de enfermagem no âmbito da promoção da saúde, prevenção de doenças, tratamento e reabilitação. Neste contexto, a OMS apresenta a Estratégia Global de Orientações para o Fortalecimento da Enfermagem e Obstetriz para o período 2016–2020”, cujo objetivo é conhecer a Estratégia como “oportunidade para a troca e reflexões das ações desenvolvidas entre os diferentes participantes”.

Estratégia Global para a Enfermagem foi o tema abordado pela Dra. Elizabeth Iro, chefe de enfermagem da OMS/Genebra, seguida de discussão conjunta sobre a estratégia global e as políticas e ações executadas frente aos diferentes atores e níveis no SUS – necessidades, desafios e oportunidades.

Fonte: Observatório de Recursos Humanos
CNTS

Deixe sua opinião

Enviando seu comentário...
Houve um erro ao publicar seu comentário, por favor, tente novamente.
Por favor, confirme que você não é um robô.
Robô detectado. O comentário não pôde ser enviado.
Obrigado por seu comentário. Sua mensagem foi enviada para aprovação e estará disponível em breve.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Siga a CNTS
nas Redes Sociais