5
Foto: Antonio Lacerda/EFE

Número de mortes por Covid no mundo é até 3 vezes maior que dados oficiais, diz OMS

Coronavírus

A última atualização da OMS mostra que, até o momento, os países relataram oficialmente 3,4 milhões de mortes.

A Organização Mundial da Saúde – OMS estima que o número de mortes por Covid-19 no mundo é entre duas e três vezes maior que os dados oficiais. Em relatório anual divulgado nesta sexta-feira, 21, a entidade contabiliza três milhões de óbitos por complicações da doença em 2020, cerca de 1,2 milhão a mais que as estatísticas divulgadas pelos governos. A última atualização da OMS mostra que, até o momento, os países relataram oficialmente 3,4 milhões de mortes.

No entanto, de acordo com o estudo, esse contingente deve ser muito maior, considerando os desafios enfrentados por autoridades sanitárias na apuração dos casos. “Esse número seria realmente duas a três vezes maior. Então, eu acho que com segurança cerca de 6 a 8 milhões de mortes poderiam ser uma estimativa cautelosa”, disse a diretora-geral da divisão de dados da OMS, Samira Asma.

Com os últimos óbitos por Covid-19 relatados à OMS agora excedendo 3,3 milhões, com base nas estimativas de excesso de mortalidade produzidas para 2020, “estamos provavelmente enfrentando uma significativa sub-contagem do total de mortes direta e indiretamente atribuídas à Covid-19”, diz a entidade.

A OMS está trabalhando com os diferentes países para descobrir qual é o real número de óbitos na pandemia e, assim, “poder estar melhor preparada para a próxima emergência”, disse Samira Asma.

As mortes por Covid-19 são um indicador chave para acompanhar a evolução da pandemia. No entanto, muitos países ainda carecem de sistemas de registro civil e estatísticas vitais com capacidade para fornecer dados precisos, completos e oportunos sobre nascimentos, mortes e causas de morte, diz a OMS. Uma avaliação recente da capacidade dos sistemas de informação sanitária em 133 países constatou que a porcentagem de mortes registradas variava de 98% na região europeia a apenas 10% na região africana.

Os países também utilizam diferentes processos para testar e relatar mortes pelo vírus, tornando as comparações difíceis. Para superar esses desafios, muitos países se voltaram para o excesso de mortalidade como uma medida mais precisa do verdadeiro impacto da pandemia.

Alguns países relatam mortes tardias e também há pessoas que morrem sem ter feito nenhum teste de diagnóstico. Outros morrem de outras doenças que não foram tratadas, por medo de ir ao posto de saúde ou por causa das medidas de confinamento.

Fonte: Com Estadão e Valor Econômico
CNTS

Deixe sua opinião

Enviando seu comentário...
Houve um erro ao publicar seu comentário, por favor, tente novamente.
Por favor, confirme que você não é um robô.
Robô detectado. O comentário não pôde ser enviado.
Obrigado por seu comentário. Sua mensagem foi enviada para aprovação e estará disponível em breve.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Siga a CNTS
nas Redes Sociais