1393

Nota oficial da CNTS sobre a suspensão do piso salarial da Enfermagem

Nota Pública

A Confederação Nacional dos Trabalhadores na Saúde – CNTS vem a público manifestar sua contrariedade à decisão liminar do ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal, que suspendeu a Lei 14.434/2022, que estabelece o piso salarial da Enfermagem.

Na sua decisão, o ministro estabeleceu prazo de 60 dias para que entes públicos e privados da área da saúde detalhem o impacto financeiro, o risco de demissões e uma possível redução na qualidade dos serviços ante a aplicação da nova lei.

Neste contexto, vale ressaltar que durante a tramitação do projeto, o Grupo de Trabalho criado pela Câmara dos Deputados ouviu diversas entidades e organizações da área, inclusive da parte dos serviços hospitalares, dos planos de saúde, das entidades representativas da categoria, do SUS e do Ministério da Saúde. O que resultou em relatório aprovado pelo colegiado que revelou que o custo total de instituições de saúde públicas, privadas e filantrópicas com profissionais da enfermagem poderá ser de R$ 16,31 bilhões. Ou seja, o custo anual para cumprir a lei e valorizar os profissionais da Enfermagem representa somente 2,7% do PIB da Saúde em 2020, 3,65% do orçamento do Ministério da Saúde no mesmo ano e um acréscimo de apenas 2,02% na massa salarial anual dos contratantes. No setor privado, o investimento na criação do piso significará cerca de 4,8% do faturamento dos planos e seguros de saúde em 2020.

Portanto, a decisão do ministro é, no mínimo, questionável ante ao amplo debate democrático realizado pelo Parlamento Brasileiro, que resultou em um estudo ampliado e na aprovação, por ampla maioria, de um Projeto de Lei e de uma Proposta de Emenda à Constituição.

Além disso, é falacioso o argumento que a Enfermagem vai ser responsável pelo fechamento de leitos, de hospitais e pela piora da qualidade do atendimento. O piso salarial da Enfermagem é constitucional e viável economicamente. Basta, por exemplo, que o governo federal empregue o montante de R$ 19,3 bilhões que está no Orçamento para as emendas de relator, conhecido como orçamento secreto, valor que seria suficiente para custear a folha de pagamento dos profissionais de instituições públicas, privadas e filantrópicas.

Já o setor privado teve lucros recordes nesta pandemia, exemplo disto foi o lucro líquido das operadoras de planos de saúde que cresceu 49,5%, alcançando R$ 17,5 bilhões, em 2020, de acordo com dados da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). Foi o período mais lucrativo desde 2015, ao contrário da maior parte dos setores da economia, que entrou em recessão. Acrescente-se que, segundo a Revista Forbes, o dono da Rede D’Or é o terceiro homem mais rico do país, com fortuna estimada em US$ 12,82 bilhões. Portanto, a alegação do setor patronal da saúde que não pode custear o piso da categoria é falaciosa.

Assim sendo, a CNTS, que ingressou como amicus curiae para atuar como representante dos trabalhadores da Enfermagem na Corte, tomará todas as medidas necessárias para corrigir esta enorme injustiça praticada pelo Judiciário Brasileiro.

A Enfermagem, que tem uma importância histórica para a saúde brasileira, cuidou de 34 milhões de pacientes infectados pela Covid-19 e aplicou 522 milhões de doses de vacinas contra a doença, portanto, precisa e merece ser melhor remunerada. O fortalecimento e melhoria das condições de trabalho de toda equipe da Enfermagem reverte em benefícios para toda a sociedade, fortalecimento o Sistema Único de Saúde A segunda maior categoria do país merece respeito e valorização!

CNTS

3 opiniões sobre “Nota oficial da CNTS sobre a suspensão do piso salarial da Enfermagem

  • Rosimeri Poli

    Isso foi um golpe bem dado na enfermagem nei um pouco de consideração e respeito pelo pela crase .

  • Vanda Maria Battezini

    Nossa profissão não tem reconhecimento, e nem valorização, pelos os brasileiros do poder, porque eles deve a nós seus salários e seus cargos, pois pagamos nossos impostos para manter eles no poder,para que eles não defenda nossa classe de trabalhadores,que dão seu sangue pela profissão, e todos trabalham por amor, a profissão que é mal valorizada.

  • Patrícia Apolinário de Souza

    Eu acho isso uma falta de amor ao próximo pois agente simplesmente cuidamos nus dedicamos a todos os pacientes como se fosse nossos entes queridos mas depois disso não iremos deixar de cuidarmos pois nós cuidamos por amor ..

Deixe um comentário para Rosimeri Poli Cancelar resposta

Enviando seu comentário...
Houve um erro ao publicar seu comentário, por favor, tente novamente.
Por favor, confirme que você não é um robô.
Robô detectado. O comentário não pôde ser enviado.
Obrigado por seu comentário. Sua mensagem foi enviada para aprovação e estará disponível em breve.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *