35
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Janeiro Branco alerta para importância de cuidados com a saúde mental

Saúde

Campanha destaca a necessidade de discutir o tema principalmente em tempo de pandemia. Segundo dados da Organização Mundial de Saúde - OMS, em torno de 12 milhões de brasileiros sofrem de depressão.

A Campanha Janeiro Branco é dedicada a colocar os temas da saúde mental em máxima evidência no mundo em nome da prevenção ao adoecimento emocional da humanidade. A ação é dedicada a sensibilizar as mídias, as instituições sociais, públicas e privadas, e os poderes constituídos em relação à importância de projetos estratégicos e políticas públicas empenhadas em valorizar e em atender as demandas individuais e coletivas, direta ou indiretamente, relacionadas aos universos da saúde mental.

Dados da Organização Mundial de Saúde – OMS relatam que o Brasil é o segundo país das Américas com maior número de pessoas depressivas, equivalentes a 5,8% da população, atrás dos Estados Unidos, com 5,9%. A depressão é uma doença que afeta 4,4% da população mundial. O Brasil é ainda o país com maior prevalência de ansiedade no mundo – 9,3%.

Estamos falando de uma doença mental que, segundo o estudo, pode alcançar de 20% a 25% das pessoas no Brasil. A ansiedade, por sua vez, afeta quase 20 milhões de brasileiros. Isso inclui o transtorno obsessivo-compulsivo, problemas de fobia, estresse pós-traumático e até mesmo ataques de pânico.

Já o suicídio é apontado pelo Ministério da Saúde como a quarta maior causa de mortes de jovens no país. São números expressivos e que, muitas vezes, ultrapassam outros indicadores relacionados à saúde e ao bem-estar da população.

Um dos problemas que a campanha Janeiro Branco busca combater, no entanto, é justamente a falta de conhecimento sobre o tema — além de outros obstáculos que dificultam a discussão.

Esta é a 8ª edição da campanha Janeiro Branco, com o lema “Todo Cuidado Conta”. A ação deste ano busca promover um pacto pela saúde mental em meio à pandemia da Covid-19. A ideia da campanha foi criada em 2014, por um grupo de psicólogos de Uberlândia/MG, e faz alusão ao início do ano, considerando janeiro como uma “página em branco” para ser preenchida com novas metas, objetivando o bem-estar da saúde mental.

A CNTS tem grande preocupação com a saúde mental e o bem-estar dos trabalhadores da saúde que estão expostos a diferentes fatores de estresse que afetam seu bem-estar, como por exemplo, a longa jornada de trabalho, a falta de reconhecimento profissional, a alta exposição a riscos, bem como o contato direto com o sofrimento, a dor, hostilidade e, não raras as vezes, a morte. Em decorrência da pandemia do coronavírus, os profissionais de saúde estão ainda mais expostos ao estresse. O resultado dessa soma de fatores gera estresse, a depressão e pode levar à Síndrome de Burnout, uma doença ocupacional classificada como transtorno mental. Por conta disso, a CNTS aderiu à campanha janeiro branco, campanha dedicada a colocar os temas da saúde mental em máxima evidência no mundo em nome da prevenção ao adoecimento emocional da humanidade.

Um diálogo necessário – Historicamente, a saúde mental foi tratada como um tabu na maior parte do mundo. Por mais que os últimos dois séculos tenham trazido grandes avanços nos estudos da Psicologia e da Medicina, o tema demorou para ser abordado como uma questão social. No Brasil, por exemplo, a Reforma Psiquiátrica, que é um grande marco em relação a isso, só ocorreu em 2001 – e ainda enfrenta problemas.

Um deles é o fato de que, culturalmente, muita gente não compreende a subjetividade humana como um possível alvo de transtornos e até mesmo doenças. Por falta de conhecimento ou diversos outros motivos, parte das pessoas não tem o hábito de conversar sobre isso, por medo de se expor ou de demonstrar uma suposta fraqueza.

Hoje, entretanto, é consenso que a saúde emocional é tão importante quanto a “física” – na verdade, ambas estão profundamente atreladas. O nosso organismo pode ser observado por uma perspectiva biológica ou psicológica, mas isso não significa que esses aspectos estão separados.

Isso deixa muito claro que o Janeiro Branco desempenha um papel fundamental ao colocar o assunto em evidência. Depressão, ansiedade e outros transtornos emocionais devem ser discutidos mais abertamente para que possam ser prevenidos e devidamente tratados.

Foto: Campanha Janeiro Branco

Fonte: Com Agência Brasil, Sesi e Campanha Janeiro Branco

Deixe sua opinião

Enviando seu comentário...
Houve um erro ao publicar seu comentário, por favor, tente novamente.
Por favor, confirme que você não é um robô.
Robô detectado. O comentário não pôde ser enviado.
Obrigado por seu comentário. Sua mensagem foi enviada para aprovação e estará disponível em breve.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Siga a CNTS
nas Redes Sociais