15
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Governo não corrige tabela do IR e contribuinte pagará mais imposto em 2020

Economia

Desde 2015 não há atualização dos valores da tabela. Segundo especialistas, essa falta de atualização tem levado o brasileiro a pagar mais imposto a cada ano, principalmente os que possuem renda menor.

Uma das promessas de campanha do presidente Jair Bolsonaro, a elevação da faixa de isenção do Imposto de Renda para 5 salários mínimos não aconteceu por mais 1 ano. Desde 2015 não há atualização dos valores da tabela. Pelo quinto ano consecutivo, a tabela do imposto de renda não vai sofrer correção pelo índice de inflação. Ou seja, a faixa de isenção fica estacionada em R$ 1.903,98 mensais, como no ano passado.

Com isso, a defasagem chega a 103,87%, de acordo com o Sindifisco Nacional, que representa os auditores fiscais, o que significa que a faixa de isenção deveria estar em R$ 3.881,85 por mês.

Ao não atualizar o valor, o governo cria uma distorção fiscal e passa a arrecadar impostos de mais pessoas, segundo o tributarista Tiago Conde, presidente da Comissão de Direito Tributário da OAB/DF.

O impacto direto, neste caso, é nos trabalhadores com menor renda, já que muitos que estavam isentos agora terão que contribuir em razão de correções mínimas de salário.

“Vamos supor que há dois anos você ganhava R$ 1 mil. Foram aplicados reajuste normais, de acordo com a inflação, e hoje você ganha R$ 1,3 mil. Antes, você não tinha taxa de Imposto de Renda. Agora, hipoteticamente, você passaria a ter. O seu poder de compra mudou? De forma alguma. Você só teve correção de perdas. Você não está ganhando mais”, explica o advogado.

Segundo Conde, a falta de correção aprofunda a desigualdade social, já que o poder de compra dos mais pobres – os que entrarão na lista do Fisco no próximo período – diminui a cada ano com o corriqueiro aumento no preço dos bens de consumo.

De acordo com o estudo do Sindifisco, cerca de 10 milhões de pessoas estão pagando a primeira alíquota, quando, na verdade, deveriam estar na faixa de isenção.

Regras – A Secretaria da Receita Federal liberou ontem, 20, o download do programa ou aplicativo do Imposto de Renda 2020, referente ao ano-base 2019. O prazo para a entrega das declarações começa em 2 de março e termina em 30 de abril.

É obrigado a declarar quem ganhou mais de R$ 28.559,70 no ano – conforme estimativa da Receita, R$ 32 milhões de pessoas estão neste grupo. Em caso de atraso, a pessoa terá de pagar multa de 1% sobre o imposto devido ao mês.

Ainda conforme a Receita, o começo da restituição foi antecipado para 29 de maio – antes era em junho. O pagamento também foi reduzido a menos lotes, de sete para cinco – além de maio, as demais restituições s

Fonte: Com Diap e Rede Brasil Atual
CNTS

Deixe sua opinião

Enviando seu comentário...
Houve um erro ao publicar seu comentário, por favor, tente novamente.
Por favor, confirme que você não é um robô.
Robô detectado. O comentário não pôde ser enviado.
Obrigado por seu comentário. Sua mensagem foi enviada para aprovação e estará disponível em breve.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Siga a CNTS
nas Redes Sociais