1

Feessers e sindisaúdes filiados resistem Lei 13.467/17 e alertam caos na saúde

A Federação dos Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde do Rio Grande do Sul – Feessers e sindicatos da base alertam autoridades, movimentos sociais e imprensa sobre a situação caótica da saúde gaúcha frente ao desmonte praticado pelos governos Sartori – a nível estadual – e Temer – a nível federal –, ambos do PMDB. A Federação rejeita integralmente a Lei 13.467/17, da reforma trabalhista, que entrou em vigor no último sábado, 11, unindo-se a outras entidades no combate às contratações precárias, aprovadas pelo Congresso, que virou as costas para os trabalhadores.

“Não aceitamos nenhum dos pontos desta famigerada alteração da CLT e seguimos firmes e intransigentes na defesa dos direitos fundamentais previstos na Constituição Federal e nas convenções da OIT – da qual o Brasil é signatário – com o objetivo de manter a dignidade do trabalho, com contratos de jornada definida, intervalos intra-jornada e descanso semanal, salários e adicionais, férias de trinta dias, décimo terceiro e o direito a livre negociação apenas para conquistas mais benéficas do que o legislado”, disse o presidente da Feessers, Milton Kempfer.

Segundo a entidade, o massacre aos trabalhadores e suas famílias está quase irrecuperável, podendo piorar, em muito, com a vigência da reforma trabalhista. “Há muito o que fazer para recompor o setor saúde, fundamental para toda população, porque lida com vidas”, disse Kempfer.

Confira o documento que mostra a situação dos hospitais com problemas mais graves, clicando aqui.

CNTS

Deixe sua opinião

Enviando seu comentário...
Houve um erro ao publicar seu comentário, por favor, tente novamente.
Por favor, confirme que você não é um robô.
Robô detectado. O comentário não pôde ser enviado.
Obrigado por seu comentário. Sua mensagem foi enviada para aprovação e estará disponível em breve.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Siga a CNTS
nas Redes Sociais