Atrasos nos repasses na saúde de Alagoas

A resposta dos Auxiliares e Técnicos de Enfermagem aos atrasos salariais e outros benefícios no Hospital do Açúcar em Alagoas foi a greve deflagrada nesta terça-feira, dia 21 de março. A categoria só irá retornar aos trabalhos se houver pagamento dos valores que estão em atraso.

Os trabalhadores decidiram em assembleia, realizada no dia 21 de março, pela paralisação. A direção do Hospital do Açúcar não deu nenhum prazo para quitar os débitos referentes aos salários do mês de fevereiro, férias e metade do décimo terceiro do exercício de 2016. Reunidos na porta da unidade, os profissionais cobraram os salários e protestaram exibindo boletos de contas que não foram pagas em virtude dos atrasos.

O presidente do Sindicato dos Auxiliares e Técnicos de Enfermagem no Estado de Alagoas – Sateal, Mário Jorge Filho, chamou atenção para a difícil situação vivida pelos auxiliares e técnicos e cobrou, durante audiência na Procuradoria Regional do Trabalho, que o Estado realize os repasses de recursos aos hospitais para que a situação seja regularizada.

“Nós estamos aqui pedindo que estes repasses sejam feitos de imediato, porque os profissionais trabalharam e têm que receber por isso. Não foram pagos o salário de fevereiro, as férias de fevereiro e março e 50% do 13º salário de 2016, bem como o vale-transporte, dentro do limite do translado destes trabalhadores”, expôs.

A direção do Hospital do Açúcar ainda não apresentou uma data para quitar os débitos e com isso a greve dos trabalhadores será mantida. O Sateal ressalta que estão mantidos apenas 30% dos serviços como previsto em lei.

Desde o segundo semestre do ano passado hospitais e, principalmente os trabalhadores, sofrem com o atraso no repasse de verba dos serviços prestados pelas unidades de saúde ao Estado. O Executivo Estadual modificou a forma de pagamento dos valores, que antes eram depositados todos dias 15 de cada mês subsequente ao serviço prestado.

A Secretaria de Estado da Saúde – Sesau vem, desde então, argumentando que não tem condições de modificar as datas e desde que a situação vem sendo acompanhada pela Procuradoria Regional do Trabalho e Ministério Público Estadual a pasta fica de apresentar uma alternativa.

Na última audiência, realizada no dia 13 de março, o procurador do Trabalho, Cássio Araújo, deu até o dia 04 de maio para que o Estado apresente uma normalização acerca da contratualização dos serviços prestados pelas unidades de saúde.

Em dezembro do ano passado, a Secretaria da Fazenda informou que deveria garantir, até o Natal, os repasses relativos aos meses de setembro e outubro de 2016, depois que os hospitais denunciaram que não possuíam condições de pagar o 13º salário dos trabalhadores. Apenas parte dos benefícios foram pagos aos trabalhadores do Hospital do Açúcar, que aguardam receber até hoje metade do décimo terceiro. (Fonte: Ascom Sateal )

CNTS

Deixe sua opinião

Enviando seu comentário...
Houve um erro ao publicar seu comentário, por favor, tente novamente.
Por favor, confirme que você não é um robô.
Robô detectado. O comentário não pôde ser enviado.
Obrigado por seu comentário. Sua mensagem foi enviada para aprovação e estará disponível em breve.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Siga a CNTS
nas Redes Sociais