Responsive image

Confederação Nacional

dos Trabalhadores

na Saúde

Responsive image

Após denúncias do Sateal, MP cobra políticas de combate ao assédio moral

Data: 13/11/2017 18:02:00
Crédito: Divulgação

Depois de recorrentes denúncias feita pelo Sateal sobre casos de assédio moral sofridos por auxiliares e técnicos de enfermagem dentro do Hospital Geral do Estado - HGE, a procuradora regional do trabalho, Adir de Abreu, recomendou que a Secretaria de Estado da Saúde de Alagoas - Sesau passe a adotar condutas que coíbam casos de assédio moral. A cobrança da procuradora ocorreu durante audiência realizada no último dia 7, que contou com a participação da coordenação de gestão de pessoas do HGE, do setor jurídico da Sesau e com a assessora jurídica do Sateal, Mônica Carvalhal. “Perseguições, humilhações e trocas de escalas de trabalho sem aviso prévio são apenas alguns dos relatos dos profissionais que procuraram o Sindicato pedindo ajuda”, explicou a assessora jurídica do Sateal.

Na audiência, a procuradora determinou que fosse criado grupo de trabalho com objetivo de acomodar os trabalhadores em seus postos com melhor qualidade de vida. “Que seja incentivada a formalização das sugestões pelos seus colaboradores, para que implementem ideias ao projeto”, decidiu Abreu.

A Sesau pediu prazo de 60 dias, a partir da audiência, para apresentar o direcionamento do trabalho ao Sindicato e à Procuradoria. Para o presidente do Sateal, Mário Jorge Santos, a decisão da procuradora deve influenciar no tratamento dado aos profissionais. “Estamos acompanhando o caso do HGE e, embora o processo seja de 2014, ainda recebemos relatos atuais de colegas que estão sendo vítimas de assédio moral. Temos que ser rigorosos e firmes para cumprir nossa função de fiscalizar e denunciar as irregularidades detectadas, por isso pedimos aos profissionais que continuem denunciando situações que possam configurar assédio”, ressaltou.

O Hospital Geral do Estado não é a única unidade de saúde envolvida em casos de assédio moral, o sindicato também investiga o Hospital Filantrópico Nossa Senhora de Lourdes, no município de Pilar, o Ambulatório 24h Noélia Lessa, em Maceió, e a Santa Casa de Misericórdia de Penedo. (Ascom Sateal)