Responsive image

Confederação Nacional

dos Trabalhadores

na Saúde

Responsive image

Diretoria do Sateal é empossada e reafirma compromisso com a enfermagem

Data: 01/11/2017 17:43:00

Com um discurso pautado no enfrentamento a reforma trabalhista, pela valorização da enfermagem e o combate ao assédio moral no ambiente de trabalho, Mário Jorge Filho, tomou posse como presidente na terça-feira, 31, junto à nova diretoria do Sateal, para gestão 2018-2021.

A solenidade aconteceu na sede do Sindicato, em Maceió, sendo comandada pelo presidente da Nova Central em Alagoas, Manoel Januário Filho. Presentes no encontro, diretores e suplentes da capital e do interior reafirmaram o compromisso em defender as bandeiras de luta dos auxiliares e técnicos de enfermagem.

“Estamos enfrentando um momento diferente na história política do movimento sindical, quando a reforma trabalhista exclui diversos direitos conquistados pela classe trabalhadora. O impacto dos danos só será medido a partir da vigência da reforma, em 2018. Além das questões que envolvem o governo federal, também lutamos pelo combate ao assédio moral, pela implantação da jornada de 30 horas semanais, a implantação do piso salarial nacional, da implantação da resolução 418 que trata da especialização do técnico de enfermagem, pelo cumprimento da NR32. Essas e outras bandeiras precisam ser disseminada entre todos os profissionais da enfermagem”, afirma Mário Jorge.

Pela valorização da enfermagem - Outro compromisso da nova gestão é com a valorização da enfermagem. Um dos maiores combates do Sateal tem sido a sobrecarga de trabalho e o dimensionamento de pessoal. Diversas unidades de saúde já foram denunciadas ao Ministério do Trabalho pelas duas práticas, que são danosas aos trabalhadores e pacientes.

“O profissional auxiliar e técnico é protagonista no processo do cuidado e não atua em retaguarda. A enfermagem alagoana não pode render-se. A unidade da categoria é indispensável. Não podemos aceitar a proposta patronal de salário mínimo para auxiliar e técnico de enfermagem. Temos que propor ainda uma integração na equipe de saúde e não ser apenas coadjuvante no processo, pois a enfermagem é a mola propulsora da saúde”, frisou Mário Jorge.