Responsive image

Confederação Nacional

dos Trabalhadores

na Saúde

Responsive image

CNTS apoia luta contra o câncer de mama e de próstata

Data: 03/10/2017 15:09:00
Crédito: ARTE CNTS

Os seios são fontes de várias simbologias em diferentes culturas. Motivo de inspiração e desejo, são também o órgão da amamentação e da feminilidade. A mama, contudo, adoece. O câncer é o mal que mais acomete essa glândula - 28% do total de tumores -, sendo o tipo que mais provoca a morte de mulheres no Brasil. Segundo dados do Instituto Nacional de Câncer – Inca, a estimativa é de 60 mil novos casos por ano em mulheres cada vez mais jovens. Quanto mais cedo, porém, o diagnóstico, mais chances de cura. A entidade informa que, quando descoberto no início, há 95% de probabilidade de recuperação total. Por isso mesmo, a importância de focar neste tema durante os 12 meses do ano, já que a doença é implacável e se faz presente em todos os momentos.

Com o objetivo de chamar a atenção para o perigo da doença, surgiu, na década de 1990, no Estados Unidos, a campanha Outubro Rosa, hoje difundida em diversos países. No Brasil, a primeira iniciativa partiu de um grupo de mulheres, em 2002, e foi marcada pela iluminação rosa do Obelisco do Ibirapuera, em São Paulo - em 2 de outubro, na comemoração dos 70 anos do encerramento da revolução, o monumento ficou iluminado com a cor da campanha.

Anos mais tarde, entidades relacionadas ao câncer de mama iluminaram de rosa monumentos e prédios em diversas cidades. Aos poucos, o Brasil foi ganhando a simbólica cor em todas as capitais e o mês de outubro tornou-se símbolo da luta pela prevenção e tratamento. O Ministério da Saúde registra um crescimento de 35% na realização de exames, que passou de 3 milhões, em 2010, para 4,1 milhões em 2016. Até julho deste ano, foram realizados um total de 2,1 milhões de testes.

Apesar de o câncer ser uma doença, na maioria das vezes, com desenvolvimento silencioso, algumas mulheres sentem mudanças no corpo. Os sintomas incluem nódulo na mama, secreção com sangue pelo mamilo e alterações na forma ou na textura do mamilo ou da mama. O tratamento depende da fase do tumor. Pode incluir quimioterapia, radioterapia e cirurgia.

Esse tipo de câncer é uma doença causada pela multiplicação anormal das células da mama, que forma um tumor maligno. Quando descoberto no início, o câncer de mama tem cura. É o câncer mais temido pelas mulheres, pois além da alta frequência da doença, os efeitos psicológicos em relação à sexualidade e à imagem pessoal também são pontos que afetam.

Segundo o Inca, as formas mais eficazes para detecção precoce do câncer de mama são o exame clínico da mama e a mamografia. Para o controle do câncer de mama, é recomendado que as mulheres realizem exames periodicamente, mesmo que não tenham alterações. É necessário que a mulher conheça o próprio corpo e caso veja alguma alteração, procure atendimento médico, pois o exame das mamas realizado pela própria mulher não substitui o exame físico realizado por profissional de saúde em atendimento hospitalar qualificado para essa atividade. O diagnóstico precoce aumenta a chance de cura do câncer de mama.

Câncer de Próstata - Já no caso dos homens, o câncer de próstata é o sexto tipo de câncer mais comum no mundo e o de maior incidência entre os homens. Cerca de três quartos dos casos ocorrem em homens com mais de 65 anos. Quando diagnosticado e tratado no início, o risco de mortalidade é reduzido. Depois do aparecimento dos sintomas, mais de 95% dos casos de câncer de próstata já se encontram em fase avançada. Daí a importância da realização de exames regulares por meio do toque retal e da medição do nível de Antígeno Prostático Específico - PSA - no sangue.

Por ser uma doença que não pode ser evitada, o diagnóstico precoce é vital para aumentar as chances de cura, que podem chegar a 90%. De 10% a 20% dos casos não são detectados pela dosagem de PSA no sangue, portanto, o exame de toque é essencial por complementar a prevenção. Alguns fatores aumentam o risco da doença se desenvolver, como idade, histórico familiar, raça – maior incidência em negros –, alimentação inadequada, sedentarismo e obesidade.

E a Confederação Nacional dos Trabalhadores na Saúde não ficou de fora e apoia as campanhas. Pelo quinto ano consecutivo, a CNTS vem incentivar a realização de exames preventivos, como forma de conter o aumento na incidência das doenças. A diretora de Assuntos de Gênero, Raça, Diversidade e Juventude da CNTS, Maria Salete Cross, alerta para a importância da prevenção. “É preciso detectar a doença no início, quando o tratamento é possível. Este alerta vai principalmente para os homens, que por um tabu vão tardiamente realizar o exame necessário para detecção do câncer de próstata. Para isso, o poder público precisa investir massivamente em campanhas e mobilizações para que a população possa realizar os exames necessários”, ressalta. (Com Inca, Correio Braziliense e Terra)